sicnot

Perfil

Reportagem Especial

À noite todos os gatos são pardos. O buraco escondido da Rioforte

Hoje na SIC

Pedro Coelho

Jornalista

O título da Reportagem Especial que a SIC emite no Jornal da Noite esta terça-feira apropria-se do oculto que a noite sugere. O jornalista de investigação Pedro Coelho volta ao universo no Grupo Espírito Santo e desta vez desce ao buraco da Rioforte.

As imagens, com que a história começa, transportam-nos para esse universo de sombras e silhuetas que constroem a noite.

E que verdade se esconde por detrás desta história?

Que sombras são estas que a noite projeta?

A televisão é inimiga do jornalismo de investigação, porque investigar significa desvendar verdades ocultas. As verdades ocultas são aquelas que – permanecendo ocultas – servem o interesse de alguém. Ora, a câmara de televisão escancara. Dá demasiado nas vistas. Se a verdade joga ao gato e ao rato com o jornalismo, ela esconde-se, sobretudo, da câmara.

Mas a inimizade entre o jornalismo de investigação e a câmara não pode bloquear a investigação na plataforma a que, ainda hoje, mais gente acede.

O jornalismo televisivo só tem de contornar a sua própria limitação para relatar o efeito das verdades ocultas.

Foi essa a estratégia que usámos para contarmos esta história. Criámos um universo paralelo.

A verdade, que o dia, finalmente, desvendou, era, afinal, um imenso buraco. O buraco… escavado na Rioforte por gente do GES.

A 14 de março de 2014, o Banco de Portugal recebeu a informação que lhe teria permitido revelar a dimensão desta cratera.

A televisão vê-se forçada a exibir a imagem de um universo empresarial que já ruiu, que nunca teve existência física real. É certo que poderíamos mostrar a Rioforte, holding do universo não financeiro do GES, através da imagem do seu ativo mais amplo – a Herdade da Comporta. Mas a Herdade da Comporta não nos transportaria para o centro desta história – o buraco escondido da Rioforte.

“A verdade, que o dia, finalmente, desvendou, era, afinal, um imenso buraco”. A frase, retirada da reportagem, apoia-se em duas metáforas: o nascimento do dia retrata, simbolicamente, o momento em que o Banco de Portugal ficou a conhecer a dimensão do buraco da Rioforte; a pedreira de mármore em Estremoz é um amplo buraco de 70 metros de profundidade e 100 metros de diâmetro - segunda metáfora - cabem, dentro desse buraco, as contas ocultas da Rioforte.

A 14 de março de 2014, o Banco de Portugal soube que a Rioforte estava falida. Esburacada por um valor negativo de 1000 milhões de euros. O Banco de Portugal entendeu não passar essa informação para o mercado, uma vez que considerou a falência da Rioforte apenas estratégica; seria absorvida pelas contas totais do Grupo Espírito Santo.

Pode até não ter impacto nas contas do grupo, mas teve – e muito - na Rioforte.

Na Rioforte e em todas as entidades que tinham comprado divida desse universo empresarial. Uma coisa é emprestar dinheiro a uma empresa que vale 932 milhões de euros; outra, muito diferente, é empresta-lo a uma empresa falida.

Sabendo isso, por que razão se calou o Banco de Portugal?

A Reportagem Especial que emitimos esta terça-feira esforça-se por dar essa resposta. Veremos se do esforço resulta luz.

Entretanto, no buraco, a equipa da SIC envolveu-se 48 horas com o cenário. O resultado é a absorção de um conjunto imenso de experiências limite, que guardaremos no capítulo dedicado às ações radicais.

Quase dois dias do nascer ao por do sol. A metáfora visual - que nos embrenha no buraco oculto da Rioforte - serviu-nos para cumprir as exigências da televisão. Veja a Reportagem Especial e conclua por si mesmo: conseguimos?

"À Noite Todos os Gatos São Pardos” é uma Reportagem Especial de Pedro Coelho, com imagem de José Silva e Luís Pinto, edição de imagem de Rui Rocha, grafismo de Cláudia Ganhão, tratamento de cor de José Dias, pós-produção áudio de Octaviano Rodrigues, coordenação de Marta Reis, direção - Ricardo Costa.

  • Liga investiga incidentes em Guimarães
    1:22

    Desporto

    Pelo menos seis pessoas ficaram feridas ontem à noite na sequência de confrontos, antes do jogo entre Vitória de Guimarães e Sporting de Braga. Mais de 50 adeptos bracarenses foram identificados pela PSP. A Liga de Clubes vai instaurar um processo de averiguações.

  • Associação ambiental alerta para limpezas de terrenos sem critério
    2:07

    País

    A menos de um mês do fim do prazo fixado para a limpeza dos terrenos, persistem dúvidas, resistências e exemplos de terrenos que são limpos sem critério. O resultado poderá ser o crescimento rápido de vegetação antes do verão. O aviso é deixado por uma associação que está a plantar árvores, em Arouca.