sicnot

Perfil

Grande Reportagem SIC

TP 075 Destino Brasil / TP 108 Bye Bye Brasil

Esta semana

Em vésperas do desfecho de mais uma tentativa de privatização da TAP; no momento em que os pilotos se preparam para o início de uma greve de 10 dias, a SIC emite, a 29 e 30 de abril, duas grandes reportagens sobre o estado da companhia aérea. E lança a dúvida: durante os 15 anos de Fernando Pinto na liderança, a TAP cresceu ou inchou, como defendem os críticos do administrador brasileiro?

A TAP cresceu em passageiros transportados, ultrapassando os 11 milhões por ano, aumentou a frota e as rotas, mas perdeu valor material. Nos últimos sete anos, o grupo TAP afundou 740 por cento, chegando aos 512 milhões de euros de capital próprio negativo.

A empresa cresceu, sobretudo para o Brasil, transformando-se na única companhia aéra de bandeira a voar para 12 cidades, ou seja, voa para todas as regiões do país. Fernando Pinto transformou o aeroporto da Portela numa plataforma giratória (hub) da TAP, que, através da frota de médio curso, recebe e disribui milhares de passageiros por semana, a maioria com destino e origem no Brasil.

O Brasil, a crescer menos do que as previsões, representa já um quarto do negócio da TAP.

A expansão para o Brasil começa, exatamente, com a compra da empresa de manutenção da VARIG, a VEM. Um negócio pensado e concretizado em 2005, pela administração de Fernando Pinto. Um negócio que, em dez anos, acumulou 500 milhões de euros de prejuízo.

As razões do grande buraco financeiro do grupo TAP devem ser encontradas, desde logo, na TAP ME BRASIL.

Mas também no handling, a assistência em terra da Ground Force. A empresa acumulou 151 milhões de euros de prejuízo, suportados, integralmente, pelo grupo TAP.

A companhia aérea portuguesa atravessa hoje uma dramática crise de liquidez. Se não for privatizada terá de ser profundamente reestruturada.

Reportagem Pedro Coelho e Luís Pinto (imagem);

Edição de Imagem Ricardo Tenreiro;

Grafismo Alexandre Ferrada e Luís Bispo;

Colorista José Dias;

Pós-produção áudio Octaviano Rodrigues e Alexandre Santos;

Produção Diana Matias e Renata Sousa Cardoso (estagiária);

Coordenação Cândida Pinto;

Direção Alcides Vieira e Rodrigo Guedes de Carvalho.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15