sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

As aspirações euroatlânticas da Geórgia

A guerra no sudeste da Ucrânia começou há um ano, e as relações entre a Rússia e o resto do mundo nunca mais voltaram a ser as mesmas. Os defensores da posição de Moscovo dizem que o Kremlin se sente ameaçado pelo alargamento da NATO e da União Europeia para leste.Os que querem fazer parte desse alargamento têm obviamente outra opinião.

É o caso da Geórgia, que celebrou um pacto com a Ucrânia e a Moldova, para uma posição comum na parceria oriental. Esta é o projeto de criação de membros associados da União Europeia no Cáucaso. Os seis candidatos, da Bielorrússia ao Azerbaijão, passando pela Arménia, são todos ex-repúblicas da URSS, e alguns bons aliados de Moscovo. A decisão de continuar o processo vai ser tomada na próxima Cimeira de Riga

Esta semana no Sociedade das Nações, Gigi Gigiadze, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Geórgia, discute as expectativas do seu país em relação à cimeira de Riga. A atual situação nas regiões separatistas da Ossétia do Sul e Abecásia, as relações entre a Geórgia e a Rússia e o diálogo de Tbilisi com a NATO e a União Europeia são os principais temas em destaque. 
  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.