sicnot

Perfil

Vida

UNESCO classifica como Património Mundial fortificações de Elvas 

A maior fortificação abaluartada do mundo, em  Elvas, foi hoje classificada como Património Mundial, pela Organização das  Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), revelou à Agência  Lusa fonte do município.  

(SIC/Arquivo)

(SIC/Arquivo)

As fortificações de Elvas foram classificadas, na categoria de bens  culturais, ao início da tarde de hoje na 36. sessão do Comité do Património  Mundial, que está reunido até 06 de julho, em São Petersburgo, na Rússia.

O conjunto de fortificações de Elvas, cuja fundação remonta ao reinado  de D. Sancho II, é o maior do mundo na tipologia de fortificações abaluartadas  terrestres, possuindo um perímetro de oito a dez quilómetros e uma área  de 300 hectares. 

As fortificações de Elvas constituíam o único monumento português entre  os 33 candidatos que fazem parte da lista de Património Mundial, elaborada  pela Unesco. 

A fonte do município explicou à Lusa que foram classificadas todas  as fortificações da cidade, os dois fortes, o de Santa Luzia, do século  XVII, e o da Graça, do século XVIII, três fortins do século XIX, as três  muralhas medievais e a mudalha do século XVII, além do Aqueduto da Amoreira. Classificado como Património Nacional em 1910, o Forte da Graça, monumento  militar do século XVIII situado a dois quilómetros a norte da cidade de  Elvas, constitui um dos símbolos máximos das fortalezas abaluartadas em  zonas fronteiriças. 

O Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) já tinha  dado parecer "decisivo e favorável", tendo sido provado que as fortificações  da cidade alentejana "reúnem o valor universal excecional, que é o principal  para que uma candidatura seja aprovada", segundo a vereadora da Cultura  do município de Elvas, Elsa Grilo. 

     

Lusa